sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Albatross de House of Matriarch " TOP 6 SUMMER PARA O BRASIL by Menestrel 1º LITORAL ENGARRAFADO."







Quando se trata de usar fragrâncias, o verão é a minha estação favorita. Talvez seja o meu gosto, ou o fato de que eu vivo em um clima quente e seco, mas quando estou em público sob o sol escaldante, eu gostaria muito, MUITO  de cheirar fragrâncias de verão. Naqueles dias, os aromas doces podem cheirar muito pegajoso e grosseiro, e os aromas picantes podem cheirar como suor com cominho no calor. Mas aqueles cítricos  naturais  e florais, oh meu ... AQUELES que  podem ser lindos. Aqui estão alguns favoritos que eu gostei no verão de 2017.



Acreditamos no poder transcendente da fragrância para nos conectar ao passado, cativamos o nosso ser para excitar o momento presente e nos ajudar a escrever o futuro. Nossa fundadora, estrategista de perfume e mago de perfume, Christi Meshell, é o "nariz criativo" da cena de fragrâncias de nicho americana. Sua versatilidade, tanto do Diretor Criativo quanto do Fragrance Composer, permite que ela desenvolva sozinha um conceito desde a inspiração inicial, até a coleta de ingredientes raros e a exibição final, a colocação e a catalogação .

Extraido do site da casa.










Uma das maneiras de convencer alguém a se tornar mais aventureiro na perfumaria  é dar-lhe uma chance  em um estilo  de casa que você não conhece bem. Um dos perfumes, que eu tentei   e me conquistou para o verão foi da House of Matriarch Albatross , ela tenta isso com o gênero aquático woody. A Sra. Meshell foi inspirada pela área de Salish Sea, no noroeste do Pacífico. Naquela área do mundo, os pinheiros crescem até a costa rochosa, enquanto as margens do pântano cinza e frio do oceano corta a pedra  escarpada. Esta zona onde a terra encontra a água é chamada de zona litoral. A Sra. Meshell usa Albatross como uma interpretação literal do litoral do Mar Salish.


O que separa a perfumaria independente da de massa  é a capacidade de usar ingredientes incomuns. A Sra. Meshell não coloca  o oceano jogando uma tonelada de Calone. Em Albatross é diferente . Seu acorde marinho acentua a salinidade  da água do oceano e não o spray de mar quente tão prevalente no gênero aquático. É esse o acorde aquoso frio que abre  em Albatroz. Isso então captura os verdes e musgos da costa a com uma mistura de óleo de  pinho. Isso tem uma qualidade de madeira acentuada, que é a conjuração perfeita desse meio, enquanto a brisa fria morde um pouco quando você respira profundamente. O albatroz tem uma pegada semelhante  dos  pinheiros que acompanham a onda ou brisa do acorde marinho. Durante algumas horas, o pinheiro se acentua. O que a Sra. Meshell chama de acorde com o driftwood. O que isso significa é que no início do acorde  de pinho é acentuado mas a brisa prevalece litoranea . Nas partes posteriores quando seca, fica salgada  e logo desaparece deixando uma versão mais seca e austera do pinheiro.
Um cheiro de mar litoral autentico,fiquei  impressionado.





O albatroz captura com precisão essa interseção de salmoura e pinho, literalmente.



Mar Salish é um dos mares continentais maiores e biologicamente ricos do mundo.

O Mar Salish é o ecossistema bi-nacional unificado que inclui o Puget Sound do Estado de Washington, o Estreito de Juan de Fuca e as Ilhas San Juan, bem como as Ilhas do Golfo da Colúmbia Britânica e o Estreito da Geórgia. O nome reconhece e homenageia os primeiros habitantes da região, o Salish da Costa.


Politicamente, o Mar Salish é governado pelos EUA e Canadá, mas o limite internacional que separa a Bacia do Puget Sound (EUA) da Bacia da Geórgia (Canadá) não corresponde a nenhuma barreira ou transição natural. A fronteira é invisível para peixes marinhos e animais selvagens. Espécies listadas como ameaçadas ou em perigo de acordo com a Lei de Espécies Ameaçadas de Substâncias dos Estados Unidos ou a Lei canadense sobre risco de risco, incluindo as baleias assassinas residentes no sul (Orcinus orca), os murrelets marmorizados (Brachyramphus marmoratus) e algumas unidades ecologicamente significativas ou espécies de salmão do Pacífico (Onchorynchus spp .), atravessar o limite diariamente. Processos oceanográficos como influxos de água doce e correntes de superfície conduzidas pelo vento trocam biotas, sedimentos e nutrientes em todo o ecossistema maior.


5 pergaminhos.











ENGLISH  VERSION 













TOP 6 SUMMER FOR BRAZIL by Menestrel 1st House of Matriarch Albatross "BOTTLED COASTAL."






We believe in the transcendent power of fragrance to connect with the past, we captivate our being to excite the present moment and help us write the future. Our founder, perfume strategist and perfume magician, Christi Meshell, is the "creative nose" of the American niche fragrance scene. Its versatility, both the Creative Director and the Fragrance Composer, allows it to develop a concept from its initial inspiration to the collection of rare ingredients and final exhibition, placement and cataloging.


Extracted from the house website.



One of the ways to convince someone to become more adventurous in the perfumery is to give you a chance on a home style that you do not know well. One of the perfumes, which I tried and conquered me for the summer was from the House of Matriarch Albatross, she tries this with the woody watery genre. Mrs. Meshell was inspired by the Salish Sea area in the Pacific Northwest. In that area of ​​the world, the pine trees grow to the rocky shore, while the shores of the gray and cold swamp of the ocean cut the steep rock. This zone where the land meets the water is called the coastal zone. Mrs. Meshell uses Albatross as a literal interpretation of the coast of the Salish Sea.



What separates independent perfume from mass is the ability to use unusual ingredients. Mrs. Meshell does not lay the ocean throwing a ton of Calone. In Albatross it's different. Its marine chord accentuates the salinity of ocean water and not the hot sea spray so prevalent in the aquatic genre. This is the cold watery chord that opens in Albatroz. This then captures the greens and mosses of the coast with a mixture of pine oil. This has a sharp wood quality, which is the perfect conjuring of this medium, while the cool breeze bites a little when you breathe deeply. The albatross has a similar footprint of the pines that accompany the wave or breeze from the marine chord. For a few hours, the pine tree grows accentuated. What Mrs. Meshell calls the chord with the driftwood. What this means is that at the beginning of the pine chord it is accentuated but the breeze prevails littoral. In the later parts when it dries, it becomes salty and soon disappears leaving a more dry and austere version of the pine.

A scent of authentic seaside, I was impressed.






The albatross accurately captures this intersection of brine and pine, literally.







Sea Salish is one of the largest and biologically rich continental seas in the world.


The Salish Sea is the unified bi-national ecosystem that includes the Puget Sound of Washington State, the Strait of Juan de Fuca and the San Juan Islands, as well as the Gulf Islands of British Columbia and the Strait of Georgia. The name recognizes and honors the first inhabitants of the region, the Salish of the Coast.



Politically, the Salish Sea is governed by the US and Canada, but the international boundary separating the Puget Sound Basin (USA) from the Georgia Basin (Canada) does not correspond to any natural barrier or transition. The border is invisible to marine fish and wildlife. Species listed as endangered or endangered under the US Substance-Related Species Act or the Canadian Risk Act, including resident killer whales in the south (Orcinus orca), marbled murrelets (Brachyramphus marmoratus) and some ecologically significant units or species of Pacific salmon (Onchorynchus spp.), cross the border daily. Oceanographic processes such as freshwater inflows and wind-borne surface currents exchange biota, sediment, and nutrients throughout the larger ecosystem.






5 scrolls.



Lufu! Harrods Exclusive Stephane Humbert Lucas 777 - Série Descortinando o Ateliê de Stéphane; decifrando o código 777 :6º Final "MATERIAL DE CONTO DE FADAS."






Na Esxence 2017 em Milão, o perfumista francês Stefan Umbert Lucas sob seu nome Stephane Humbert Lucas 777 apresentou três fragrâncias florais sob os nomes de Lufu, Panthea e Wish Come True.

Um admirador apaixonado de temas orientais, Stephan desta vez desviou-se um pouco das suas regras e colocou a ênfase na tonalidade floral dos aromas. Embora, se você olhar para a composição Stephane Humbert Lucas 777 Lufu, é difícil notar a sugestão de um fundo refinado no estilo oriental. Os entalhes de um curso precioso se misturam perfeitamente com a decoração sob a forma de um absoluto sensivelmente sensual da rosa marroquina, envolto pela requintada neblina alcoólica de rum, mirra e sândalo. As cores balsâmicas do bálsamo de Tolu e do labdanum adicionam à fragrância os toques finais dos clássicos atemporais, envolvidos em uma romântica nuvem dourada de tons de animais e árvores. 



O aroma traz a atmosfera de um jardim em flor de primavera no sul da França.



Esse é Harrods Exclusive só tem lá! A Harrods é uma das mais famosas lojas de departamentos do mundo, localizada na rua Brompton Road, Knightsbridge, Londres. Ocupa uma área de 5 acres e tem 90.000 m² de espaço de venda, sendo a maior loja da capital inglesa. 


Esse é meu numero  um da casa ,tuberosa e incenso são os dois sabores que você pode sentir facilmente ao usar este perfume.


Um florestal de tirar o fôlego surpreendente da maneira que somente Stéphane Humbert Lucas conseguiu criar magistralmente, esta fragrância combina notas delicadas  de quatro florais (narciso, violeta, labdanum e tuberosas) misturados com oud, baunilha, feijão tonka e incenso com resultados bonitos. As notas não-florais levam essa criação no território mais unissex e fornecem mais calor, profundidade e caráter. O perfume lindamente flui e flui na sua pele irradiando uma delicada beleza sensual.O combo fava tonka e narciso te leva a um mundo de fantasia.Material de conto de fadas.
Qualidade surreal !


Muito. Muito macio. Uma fragrância fantástica! , Depois de meia hora de "veludo" uma flor desabrocha com um   incenso com baunilha e aveludado, com uma linda flor que é impregnada e que projeta mais de  três horas. ....   Isso é outro  mundo, um conto de fadas. A fragrância te embala, fabulosamente.Obrigado Lucas é outra felicidade de fadas.




5 PERGAMIHOS.






ENGLISH VERSION  



Series Unveiling Stéphane's Studio; deciphering code 777: 6th Final Stephane Humbert Lucas 777 - Lufu! Harrods Exclusive "FAIRY TALE MATERIAL."



At Eskise 2017 in Milan, French perfumer Stefan Umbert Lucas under his name Stephane Humbert Lucas 777 presented three floral fragrances under the names of Lufu, Panthea and Wish Come True.

A passionate admirer of Oriental themes, this time Stephan deviated somewhat from its rules and placed the emphasis on the floral tonality of the aromas. Although, if you look at composition Stephane Humbert Lucas 777 Lufu, it is difficult to note the suggestion of a refined background in the oriental style. The carvings of a precious course blend perfectly with the decoration in the form of a sensuously sensual absolute of the Moroccan rose, wrapped in the exquisite alcoholic haze of rum, myrrh and sandalwood. The balsamic colors of the Tolu balm and the labdanum add to the fragrance the finishing touches of the timeless classics, wrapped in a romantic golden cloud of animal and tree tones.





The aroma brings the atmosphere of a spring blooming garden in the south of France.





That's Harrods Exclusive just got there! Harrods is one of the world's most famous department stores, located at Brompton Road, Knightsbridge, London. It occupies an area of ​​5 acres and has 90,000 m² of sales space, being the largest store in the English capital.





This is my number one house, tuberose and incense are the two flavors you can easily feel when using this perfume.



Stéphane Humbert Lucas has managed to create masterfully, this fragrance combines delicate notes of four floral (narcissus, violet, labdanum and tuberosas) mixed with oud, vanilla, tonka beans and incense with beautiful results. Non-floral notes bring this creation into more unisex territory and provide more warmth, depth and character. The scent beautifully flows and flows on your skin radiating a delicate sensual beauty. The Tonka faerie combo and narcissus takes you to a fantasy world. Fairytale material.


Surreal quality!






Rose De Petra Eau de Parfum por Stephane Humbert Lucas 777 Série Descortinando o Ateliê de Stéphane;5º decifrando o código 777 :


"Poção mágica da rosa búlgara, epíteto vermelho, sensual e afiado ao mesmo tempo"

Esta fragrância não é uma mulher, mas a antiga cidade de rock da Jordânia.Depois de uma longa jornada, finalmente chegamos na cidade, que já foi esculpida em rocha e é Património Mundial da UNESCO.



 O Sr. Lucas disse que procurou fazer uma fragrância que evidenciasse contrastes. A frutificação e a alegria da rosa búlgara; o calor, as especiarias,  e  o mistério do deserto; a beleza arenosa da "Rose du Sables" ou a rosa do deserto; e a pedra esculpida de Petra. Ele queria uma composição que fosse "quente e froid", quente e fria, com pequenos toques de vários musgos e cedro fresco "verde" contrabalançado pelas especiarias ardentes, o rico bálsamo do Peru, couro escuro e estirax fumado. 








Um floral deslumbrante que honra as duas metades do seu homônimo com uma rosa DE partes iguais, refrescantemente natural e sumptuosamente misterioso.








Gostei de  Rose de Petra é como uma viagem por um antigo cânion de pedra, com rosas selvagens em plena floração que brotam de cada rachadura na rocha. O que começa como uma simples e bela jornada se abre para o mistério e a maravilha - aquela rosa limpa e brilhante que cheirei não é uma nota simples , mas sim um óxido de rosa intenso dado corpo e saquinho deliciosos de romã e lichia.





Se você está procurando o perfume rosa do Santo Graal, você pode parar aqui. Esta é simplesmente a mais perfeita, profunda e requintada mistura de rosas na Terra. Tudo em grande  comparação.

Aqui, mais uma vez, vemos a necessidade do compromisso intransigente de Lucas com ingredientes de alta qualidade, pois a fórmula enganosamente simples de Rose de Petra desmente uma incrível integridade que não teríamos pensado que seria possível ler as notas sozinhas. Como uma cidade totalmente irrigada, esculpida em uma montanha no meio do deserto, Rose de Petra é uma obra-prima da construção que o derrubará com sua beleza.

5 Pergaminhos.










ENGLISH VERSION 



Series Unveiling Stéphane's Studio; deciphering code 777: 5th Rose Of Petra Eau de Parfum by Stephane Humbert Lucas 777






"Magic potion of the Bulgarian rose, red epithet, sensual and sharp at the same time"

This fragrance is not a woman but the old rock city of Jordan. After a long journey, we finally arrived in the city, which was once carved in rock and is a UNESCO World Heritage Site.





 Mr. Lucas said that he tried to make a fragrance that would show contrasts. The fruitfulness and joy of the Bulgarian rose; the heat, the spices, and the mystery of the desert; the sandy beauty of the "Rose du Sables" or the desert rose; and the carved stone of Petra. He wanted a composition that was "hot and froid," hot and cold, with little touches of various mosses and fresh "green" cedar counterbalanced by fiery spices, Peru's rich balm, dark leather, and smoked strains.







A dazzling floral that honors the two halves of its namesake with a rose of equal parts, refreshingly natural and sumptuously mysterious.








I like Rose of Petra is like a trip through an old stone canyon, with wild roses in full bloom that sprout from every crack in the rock. What begins as a simple and beautiful journey opens to the mystery and wonder - that clean and bright rose that I smelled is not a simple note, but an intense rose oxide given the body and purse delicious of pomegranate and lychee.





If you are looking for the pink perfume of the Holy Grail, you can stop here. This is simply the most perfect, deep and exquisite mix of roses on Earth. All in great comparison.




Here again we see the need for Luke's uncompromising commitment to high-quality ingredients, as Rose's deceptively simple formula degrades incredible integrity that we would not have thought it possible to read the notes alone. As a fully irrigated city, carved into a mountain in the middle of the desert, Rose of Petra is a masterpiece of construction that will bring you down with its beauty.




5 Scrolls.



Panthea Eau de Parfum por Stephane Humbert Lucas 777 Série Descortinando o Ateliê de Stéphane; 4º decifrando o código 777 :






Stéphane Humbert Lucas 777 ⋅ Panthea 
Eau de Parfum ⋅

"Panthea é a deusa de todas as coisas - puro, branco e místico"

Esta fragrância também consiste em ingredientes brancos: flores brancas, incluindo dois tipos de jasmim, bem como íris, sândalo, chá branco, almíscar branco e patchouli. A fragrância apresenta inicialmente uma nota cítrica e depois se aprofunda em uma sedução sutil e elegante.











Como você imagina o cheiro do céu? Esqueça a especificidade da religião e se concentre apenas no conceito geral: um paraíso de branco perolado acima das nuvens, limpo e envolvente, misterioso e sublimamente feliz. Este é o aroma de Panthea, uma adição fresca, feminina e inspirada pela íris para a série 777, imbuída de um sentimento de graça quase transcendente.








O Panthea é definitivamente uma fragrância bem-feita, muito bonita, e Stephen Humbert Lucas claramente tem  habilidade, mas não sei como  ele conseguiu o cheiro que ele conseguiu aqui com os ingredientes listados. Ele pode ser o mestre da abstração. 


Pathea abre com uma sensação energética de frescura, equilibrando a suculenta suculência do tangerina contra o brilho da pimenta rosa com um chá branco brilhantemente liso que fornece um pano de fundo prístino. O coração da íris tem muitos caracteres florais em pó, mas também uma suavidade que evita tons de raízes ou terra em favor de deliciosas flores brancas e muskiness. Um delicado equilíbrio de madeiras leves, tonka e patchouli emprestam longevidade sem granel, o perfume é sem peso por toda parte. Passe um dia nas nuvens com Panthea - duvido que você  queira voltar para a Terra.


Panthea abre na minha pele com uma bergamota viva, gelada e limonada dentro de uma nuvem de jasmim. Para mim, não cheira como jasmim real, mas sim, hedione , um material fresco, limpo, legal, lemony, perfumado com jasmim, muito amado por Jean-Claude Ellena por sua limpeza e frescura verde-tingidas.Na verdade, eu apostaria dinheiro que Panthea tem alguma hedione nele, se não muito. A hedione é parcialmente responsável pelas manchas de verde dentro da nuvem floral de Panthea, mas também aposto que a folha violeta também desempenha um papel.








Outras notas seguem o exemplo. Há as frutas geladas, ligeiramente picante e frutadas de grãos de pimenta cor de rosa, e pequenas folhas de um violeta em pó, um pouco de batom, bem como o verde mais limão de uma nota de folha violeta e bastante penetrante. As três coisas são menores em comparação com os aromas limpos, frios, pedregosos e imensamente ensaboáveis ​​de íris que explodem no centro do palco após apenas um minuto ou dois. Torna-se uma parte central do buquê, enrolado em torno da nítida, limão "jasmim" / hedione e a bergamota branda como os impulsos de direção do bouquet de abertura de Panthea. Acabar com coisas são algumas poucas fatias de madeira vaga e de sândalo e, em seguida, um cobertor espesso de lavanda com almíscar branco limpo.

Quando cheirava de longe, Panthea assemelha-se fortemente a um sabão floral caro combinado com um caro shampoo floral-cítrico, algumas gotas de doçura indeterminada de baga vermelha e uma cintilação de madeira ondulada indeterminada.






"O mais bonito floral fresco que me lembra o sabão mais luxuoso já criado. Isso não é nada ruim. "Se você quer sentir o mesmo, experimente o Panthea para si mesmo.

4 pergaminhos.




ENGLISH VERSION 


Stéphane Humbert Lucas 777 ⋅ Panthea

Eau de parfum

"Panthea is the goddess of all things - pure, white and mystic"

This fragrance also consists of white ingredients: white flowers including two types of jasmine, as well as iris, sandalwood, white tea, white musk and patchouli. The fragrance initially presents a citrus note and then delves into a subtle and elegant seduction.









do you imagine the smell of heaven? Forget the specificity of religion and focus only on the general concept: a paradise of white pearly above the clouds, clean and engaging, mysterious and sublimately happy. This is the aroma of Panthea, a cool, feminine, iris-inspired addition to the 777 series, imbued with a near-transcendent sense of grace.





The Panthea is definitely a well-made, very beautiful fragrance, and Stephen Humbert Lucas clearly has skill but I do not know how he got the scent he got here with the listed ingredients. He can be the master of abstraction.





Pathea opens with an energetic sense of freshness, balancing juicy tangerine juiciness against the glow of pink pepper with a brilliantly smooth white tea that provides a pristine backdrop. The heart of the iris has many floral characters in powder but also a softness that prevents tones of roots or earth in favor of delicious white flowers and muskiness. A delicate balance of light woods, tonka and patchouli lend longevity without bulk, the scent is weightless everywhere. Spend a day in the clouds with Panthea - I doubt you want to return to Earth.



Panthea opens on my skin with a bergamot alive, chilled and lemonade inside a cloud of jasmine. For me, it does not smell like real jasmine, but rather, hedione, a fresh, clean, cool, lemony, fragrant with jasmine, much loved by Jean-Claude Ellena for its clean and crisp greenness.In fact, I would bet money that Panthea has some hedione in it, if not a lot. The hedione is partly responsible for the patches of green within the floral cloud of Panthea, but I also bet that the violet leaf also plays a role.







Other notes follow suit. There are the frosty, slightly spicy and fruity fruits of pink peppercorns, and small leaves of a violet powder, a little lipstick as well as the lime green of a violet note and quite penetrating. The three things are smaller compared to the clean, cold, stony, and immensely soothed scents of irises that explode in the center of the stage after only a minute or two. It becomes a central part of the bouquet, wrapped around the crisp, jasmine / hedione lemon and the bergamot bland as the direction pulses of the panthea opening bouquet. Do away with things are a few slices of waxy wood and sandalwood and then a thick blanket of lavender with clean white musk.


When smelled from afar, Panthea resembles heavily an expensive floral soap combined with an expensive floral-citrus shampoo, a few drops of indeterminate sweetness of red berry, and an indeterminate undulating wood scintillation.



"The most beautiful fresh floral that reminds me of the most luxurious soap ever created, that's not bad at all." If you want to feel the same, try Panthea for yourself.



4 scrolls.

Sobre o Google TradutorComunidadeCelularSobre o GooglePrivacidade e TermosAjudaEnviar feedback




Soleil de Jeddah de Stéphane Humbert Lucas 777 Série Descortinando o Ateliê de Stéphane;3º decifrando o código 777 :






Para homenagear uma grande cidade que é um epicentro religioso e um destino de férias, uma capital cultural e um centro de comércio, Stéphane Humbert Lucas escolheu concentrar um elemento igualmente presente e central em todos os empreendimentos, que é contido dentro da brilhante garrafa dourada é um sol , cítrico-floral brilhantemente arrebatador que gradualmente evolui para revelar profundidades ocultas de couro russo, baunilha de Madagascar, íris amanteigada e âmbar terrosa. Como a cidade multifacetada de Jeddah, as razões para ir e as razões para ficar podem ser completamente diferentes.






O Sr. Lucas descreveu Soleil de Jeddah como um perfume com uma poderosa abertura de citricos, seguido por um coração floral forte, acima de uma base persistente, escura, intensamente couro, imbuída de mousse de chene ou de oakmoss. Ele o visualiza como um perfume que uma mulher vestia com uma bola, com um vestido longo e fluido, cuja parte traseira aberta expõe a pele sensual, toda usada com uma "panóplia de jóias" e peles. Posso ver sua visão e compreendê-la, mas, para mim, Soleil de Jeddah é mais parecido com uma bola incandescente de amarelo e laranja, centrada em um coração cúmplice e frutado massivamente concentrado, acima de uma base em couro manchada pquenos traços animal.





Soleil de Jeddah abre na minha pele com damascos suculentos que são tangíveis com jasmin, seguido por um lado muito ácido, azedo, limão, então íris, mais íris, um pó leve de íris , camomila e uma estranha madeira. Há nuances de couro e um toque de fumo, mas a impressão geral é de brilho. (Eu escrevi nas minhas notas, "brilhante, brilhante, BRILHANTE!")
Osmanthus muitas vezes cheira a damascos, com uma tonalidade coriácea, mas a flor em Soleil de Jeddah é altamente imbuída de outras frutas também.O resultado é uma nota mista de osmanthus com uma sensação concentrada que nunca experimentei antes. Isso me faz lembrar da coalhada de limão denso e picante de Black Gemstone , só que aqui, o citrino é acompanhado por damascos e laranjas igualmente concentrados. Assim como no Black Gemstone, os frutos no Soleil de Jeddah foram amplamente amplificados por um patchouli atrevido e púrpura, mas a sensação principal é de acidez, não a doçura do xarope. É uma explosão saturada de zombaria picante que é fresca, nítida, pesada, doce e azeda, tudo de uma vez.






Na verdade, uma fragrância tão grande e brilhante, é um milagre  que Soleil de Jeddah nunca se desvenda em doçura   exagerada, o que só podemos atribuir à excepcional qualidade dos ingredientes, bem como um coração de raiz de íris ligeiramente pulverulento que combina perfeitamente a lacuna na base mais terrena, surpreendentemente sensual. Uma vez que o couro russo emerge, rico e resinoso com um leve enfim, o que poderia ter parecido uma progressão estranha e desconhecida agora é natural, intrigante e profundamente satisfatório. Como a bela tampa de palha dourada do frasco, o sol de Jeddah brilha o suficiente para combinar tudo, com resultados inegavelmente bonitos.





4 Pergaminhos.










ENGLISH VERSION 

Series Unveiling Stéphane's Studio; deciphering code 777: 3rd Soleil de Jeddah by Stéphane Humbert Lucas 777




To honor a large city that is a religious epicenter and a holiday destination, a cultural capital and a trade center, Stéphane Humbert Lucas chose to concentrate an equally present and central element in all endeavors, which is contained within the brilliant golden bottle is a brilliantly ravishing citrus-floral sun that gradually evolves to reveal hidden depths of Russian leather, Madagascar vanilla, buttery iris and earthy amber. As the multifaceted city of Jeddah, the reasons for going and the reasons for staying can be completely different.





Mr. Lucas described Soleil of Jeddah as a perfume with a powerful citrus-like opening, followed by a strong floral heart, above a persistent, dark, intensely leathery base imbued with chene mousse or oakmoss. He visualizes it as a perfume that a woman wore with a ball, in a long flowing dress, whose open back exposes sensual skin, all worn with a "panoply of jewels" and furs. I can see your vision and understand it, but for me, Soleil de Jeddah is more like an incandescent ball of yellow and orange, centered in a massively fruity and complicitly concentrated heart, above a leather base stained with little animal traits.





Soleil de Jeddah opens on my skin with juicy apricots that are tangible with jasmine, followed by a very sour, sour, lemon side, then irises, more irises, a light powder of iris, chamomile and a strange wood. There are leather nuances and a touch of smoke, but the overall impression is of brightness. (I wrote in my notes, "BRIGHT, BRIGHT, BRIGHT!")
Osmanthus often smells like apricots, with a coriaceous tint, but the flower in Soleil de Jeddah is highly imbued with other fruits as well. The result is a mixed note of osmanthus with a concentrated feel that I have never experienced before. This reminds me of Black Gemstone's spicy dense lemon curd, but here citrus is accompanied by apricots and equally concentrated oranges. Just like in Black Gemstone, the fruits in Jeddah's Soleil have been amplified by a daring and purple patchouli, but the main sensation is of acidity, not the sweetness of the syrup. It is an explosion saturated with spicy mockery that is fresh, crisp, heavy, sweet and sour, all at once.





In fact, such a great and brilliant fragrance, it is a miracle that Soleil de Jeddah never reveals itself in exaggerated sweetness, which can only be attributed to the exceptional quality of the ingredients as well as a slightly powdery iris root heart that perfectly blends the gap on the most earthly, surprisingly sensual base. Once the Russian leather emerges, rich and resinous with a slight at last, what could have looked like a strange and unfamiliar progression is now natural, intriguing and deeply satisfying. Like the beautiful golden straw cap of the jar, the Jeddah sun shines brightly enough to match everything with undeniably beautiful results.




4 Scrolls.




Mortal Skin de Stéphane Humbert Lucas 777 Série Descortinando o Ateliê de Stéphane; 2º decifrando o código 777










Inspirado pela graça mortal da víbora tão exquisitamente representada na garrafa, a Pele Mortal é uma meditação sobre o perigo, a paixão e a obsessão hipnótica que se encaixa na perfumaria oriental e ocidental, como só o Stephane Humbert Lucas pode fazer. A Pele Mortal se abre com um mistério tentador, como um acorde de refrigeração e tinta de outro mundo que satisfaz a mola preta e pegajosa e a resina resinosa, ao mesmo tempo cativante e ameaçadora, familiar e estranha. No coração, a cobra volta para atacar, o quente opoponax e a mirra lavando sobre nós ao longo de aromáticos e lindos florais e mechas de especiarias jorrando seu veneno, hipnotizando em seu balanço. E uma vez que percebemos o poder contido dentro, a base resinosa de labdanum, styrax e bétula, é muito tarde para escapar - Mortal Skin me tem completamente impressionado.  Sedutor, esta é uma fragrância que você não pode  perder.












1º ato
O perfume, lânguido e colorido, hipnotiza-me,
Estou de olho em dois olhos que me desejam.
Frescura frondosa, frutas, magia do encontro,
A sedução começa.

2º Ato
O perfume aumenta e me paralisa,
As presas pulam, querendo afundar em mim.
O calor latejante misturado com frio azul, acho que sou mordido.
Sândalo, tequila, intoxicação.

3ª Ação
Bestialidade, brutalidade, jornada,
O perfume cheira a cinza quente.
A vida se desliza.
Agora sabe que tudo é lindo.
Elegância. Cativeiro. Estou me Deixando ir.



A Pele Mortal se abre na minha pele com uma doçura escura, morna e temperada que é atada com incenso e  mirra, levemente polvilhada com íris e ervas verdes e, em seguida, envolto dentro de uma forte nuvem de limpeza fresca e prateada. O último não é fácil de descrever porque não é precisamente limpo, aquoso, ozônico, metálico ou com sabão limpo, per si. E, no entanto, isso sugere todas essas coisas. Para a maior parte, no entanto, cheira mais ozônico do que qualquer coisa que se assemelhe a "tinta" real, e evoca pensamentos de roupas de algodão nítidas que foram limpas recentemente limpas, embora não seja uma vibração sintética ou fortemente sintética.


Em poucos minutos, Mortal Skin começa a mudar, à medida que o verde herbáceo se duplica e depois triplica em força. Ele também cheira limpo, mas é principalmente como ervas secas e doces, em vez de galbanum típico. O último não é uma das minhas notas favoritas, porque é freqüentemente tão verde, amargo e pungente quanto à inclinação do preto em visuais e corpulento em tons baixos.Esse não é o caso aqui. O cheiro é mais como alecrim, anis secos e gramíneas secas e doces, com tons suaves que me lembram de artemísia, angélica e, de vez em quando, tomilho seco. Ao mesmo tempo, parece inesperadamente limpo (graças ao lado ozônico da "tinta") e bem fresco. Eu suspeito que a íris tenha algo a ver com a última parte. Na minha pele, a íris na Pele Mortal é vagamente, nebulosa e floral, ocasionalmente, como doçura em pó, mas nunca é enrugada, terrosa, mofada ou cosmética. É uma nota muito sutil  e, novamente, a melhor maneira de explicar isso na fase inicial é como "leve muita  leveza".



Enquanto o verde herbáceo e a limpeza gelada e ozônica são os fios mais fortes na abertura, existem outros elementos que se seguem muito atrás. Um incenso silencioso, semi-doce, se abre caminho ao longo das notas superiores, cheirando mais a mirra doce e opoponax com um toque de noz, ao invés da mirra puramente litúrgica com suas tonalidades ensaboadas, mofadas, empoeiradas ou lenhosas. Tudo está impregnado de uma nuvem escura e dourada que é ambarada em sensação e na impressão mais do que cheirar o labdanum real, claro, explícito ou ambergris. As especiarias são generosamente rebocadas em cima, novamente mais abstratas que as camadas delineadas de forma clara. Alguma coisa sobre as duas coisas juntas emite uma vibe de pachouli e âmbar picante para mim, em vez de flutuar distintas camadas de açafrão e cardamomo. Uma das razões pelas quais pode ser porque a Pele Mortal é extremamente bem misturada, então várias de suas partes são subsumidas dentro de um buquê que é algo um borrão de madeira picante, herbácea, verde, quente, legal, doce e suave.




Obra prima de 
Stéphane Humbert Lucas 



5 PERGAMINHOS








ENGLISH VERSION 


Series Unveiling Stéphane's Studio; deciphering code 777: 2nd Mortal Skin by Stéphane Humbert Lucas 777




Inspired by the mortal grace of the viper so exquisitely represented in the bottle, the Deadly Skin is a meditation on the danger, the passion and the hypnotic obsession that fits into the oriental and western perfumery, as only Stephane Humbert Lucas can do. The Deadly Skin opens with a tempting mystery, like a chilling chord and otherworldly ink that satisfies the sticky black spring and the resinous resin, at once captivating and threatening, familiar and strange. In the heart, the snake comes back to attack, the hot opoponax and myrrh washing over us along aromatic and beautiful florals and strands of spices spouting its venom, hypnotizing in its swing. And once we realize the power contained within, the resinous base of labdanum, styrax and birch, is too late to escape - Mortal Skin has me completely impressed. Seductive, this is a fragrance that you can not miss.







1st act
The perfume, languid and colorful, hypnotizes me,
I'm keeping an eye on two eyes that want me.
Leafy freshness, fruits, meeting magic,
Seduction begins.

2nd Act
The perfume increases and paralyzes me,
The fangs jump, wanting to sink into me.
Throbbing heat mixed with cold blue, I think I'm bitten.
Sandalwood, tequila, intoxication.

3rd Action
Bestiality, brutality, journey,
The perfume smells like hot ash.
Life slips.
Now you know that everything is beautiful.
Elegance. Captivity. I'm letting go.






The Deadly Skin opens on my skin with a dark, warm and temperate sweetness that is laced with incense and myrrh, lightly sprinkled with irises and green herbs and then wrapped in a strong cloud of fresh, silvery cleansing. The latter is not easy to describe because it is not precisely clean, aqueous, ozone, metallic or with clean soap per se. And yet, that suggests all these things. For the most part, however, it smells more ozone than anything that resembles the actual "ink", and evokes thoughts of crisp cotton clothes that have been cleaned recently cleaned, though not a synthetic or strongly synthetic vibration.






In a few minutes, Mortal Skin begins to change, as the herbaceous green doubles and then triples in strength. It also smells clean, but it is mostly like dry and sweet herbs instead of typical galbanum. The latter is not one of my favorite notes because it is often so green, bitter and poignant as the tilt of black in visuals and corpulent in low tones. That is not the case here. The scent is more like rosemary, dried anise and dried sweet grasses, with soft tones that remind me of sagebrush, angelica and, occasionally, dry thyme. At the same time, it looks unexpectedly clean (thanks to the ozone side of the "paint") and pretty cool. I suspect the iris has something to do with the last part. On my skin, the iris on the Deadly Skin is vaguely, hazy and floral, occasionally as sweet sweetness, but is never wrinkled, earthy, musty or cosmetic. It's a very subtle note, and again, the best way to explain it in the initial phase is how "light weight."




While herbaceous green and icy and ozone cleansing are the strongest threads in the opening, there are other elements that follow far behind. A quiet, semi-sweet incense opens its way along the top notes, smelling more of myrrh and opoponax with a hint of walnut, rather than the purely liturgical myrrh with its soapy, moldy, dusty or woody hues. Everything is impregnated with a dark and golden cloud that is ambered in sensation and in the impression rather than smelling the real, clear, explicit or ambergris labdanum. The spices are generously plastered on top, again more abstract than the clearly delineated layers. Something about the two things together emits a vibe of pachouli and spicy amber to me instead of floating distinct layers of saffron and cardamom. One of the reasons why it may be because the Mortal Skin is extremely well blended, so several of its parts are subsumed inside a bouquet that is something a spicy, herbaceous, green, warm, cool, sweet, and smooth wood blur.




Masterpiece of

Stéphane Humbert Lucas








5 PERGAMINHOS





ZAYED 2018 Boadicea The Victorious O MELHOR PERFUME DO ANO 2019

O mundo das fragrâncias estão lotado delas. Uma verdadeira constelação de estrelas,cada qual com seu brilho que iluminam pessoas es...